Siga por Email

14/03/2011

Review Space Hulk 3a edição

 Space Hulk na sua 3ª encarnação é já um dos jogos mais famosos de sempre, lançados pela Games Workshop. Quem quer um boardgame com feeling de jogo de miniaturas, vai ficar bem servido. E este é um jogo para no minimo de 2 jogadores, um ou mais a controlar os Space Marines e outro a controlar os Genestealers que infestam os restos retorcidos de uma nave espacial encontrada à deriva – daí o seu nome!!


  • Caixa do jogo - Sem ser uma caixa gigante, não deixa de ser maior do que a caixa normal dos boardgames, e logo aqui começa a diferenciação e o deleite dos olhos. A própria caixa chama-nos a atenção com o seu grafismo e texturas.
  • Apresentação - Ao abrir a caixa não ficamos desapontados, com a quantidade de miniaturas, o livro de regras e os tiles!!
  • Componentes - Miniaturas de Space Marines de Armadura, Genestealers – cópia que a Games Workshop fez dos Aliens do filme do mesmo nome e assim fugindo aos problemas de direitos autorais, os tiles que vão fazer os corredores das naves, cada um com textura em 3D – só dá para explicar passando-lhes o dedo por cima – dados e tokens em cartão de 4mm, tudo com um grafismo muito-detalhado. As miniaturas que vêm com o Space Hulk, com detalhes por todos os lados, ganham vida quando um jogador dedicado se dá ao trabalho de as pintar.
  • Grafismo - Neste momento é dificil apontar jogos com o nível de grafismo equiparado ou superior ao que esta edição do Space Hulk apresenta. 
  • Tema - Imaginem-se que como comandantes dos Space Marines num quadrante da galáxia, são informados da existência de uma velha nave decrépita no seu setor. Mandam 1 ou mais squads de Space Marines fazerem a abordagem e relatarem o que lá encontrarem. Como bom Space Marine, o poder de fogo que se leva é sempre o necessário mais dois ou três níveis acima disso. Quando entram na velha nave começam a notar marcas que indiciam que a mesma não está no estado atual de deterioração por mero acaso, quando começam a notar nos scanners a presença de sinais de vida que se aproximam rapidamente. A partir daqui é fazer o possivel para escapar dali para fora.
  • Objetivo - Com vários cenários possiveis incluidos no livro de regras, que se traduzem em missões com objetivos bem definidos para o jogador que controla os Space Marines, enquanto que o jogador que controla os Genestealers tem sempre como objetivo impedir que o adversário cumpra o seu, o jogo tem a capacidade de se reinventar em cada cenário.
  • Livro de Regras - Mesmo para quem nunca jogou um jogo deste gênero, o livro de regras facilmente ensina as bases e mais além, sempre bem ilustrado e simples de entender.
  • Preparação - Jogá-lo consiste em escolher uma missão e colocar na mesa os tiles para formar  corredores que têm de ser atravessados, com as portas que se tem de abrir e fechar; e os pontos de entrada dos Genestealers, tudo isto demora pouco tempo devido à facilidade de se identificar os elementos a serem utilizados, mas mesmo assim podemos estar perante uns 15~20 minutos de preparação. 
  • Começar a jogar - Para o iniciante mesmo sem ter lido as regras, um bom jogador irá colocá-lo a jogar e instruí-lo nas diversas opções à sua disposição em pouquissimo tempo, sendo que mesmo sem auxilio rapidamente se aprende a jogar e a começar a formular estratégias. 
  • Mecânica - Muito parecido com um Dungeon Crawler, o Space Hulk coloca as suas mecânicas todas com enfâse na batalha entre os Space Marines e os seus adversários, disponibilizando aos jogadores a capacidade de se moverem cautelosamente a aguardar o perigo atrás de cada esquina ou rapidamente conforme o momento o exigir. Nada nas mecânicas é deixado ao acaso e raramente surgem dúvidas que uma consulta rápida do livro de regras não esclareça.
  • Jogabilidade - Um dos fatores que mais força a jogabilidade é a presença do cronômetro que força o jogador de Space Marines a pensar rapidamente, pois só tem X segundos para mexer todos os seus membros. Já o jogador adversário não recebe essa pressão, pois não tem cronômetro controlando sua jogada. De resto o jogo está sempre avançando, com poucos momentos de espera entre as jogadas a não ser quando os Genestealers quebram o ritmo de jogo com uma ou outra jogada mais pensada. 
  • Interacção - É raro haver uma jogada que não force o jogador adversário a fazer qualquer coisa, ou porque colocou um Space Marine em guarda e a disparar contra tudo o que lhe passe no campo de visão, ou porque virou uma esquina e um blip no monitor se transforma numa horda de Genestealers, ambos os jogadores estão sempre em ação durante quase todo o jogo, à exceção dos primeiros turnos em que a movimentação torna o jogo numa experiência muita solitária para cada um. 
  • Estratégia - Se não fosse o cronômetro estariamos perante um verdadeiro jogo de xadrez, em que cada jogada poderia ser eternizada, isto porque temos de estar sempreprevendo o que irá fazer o adversário, e como rebater as suas jogadas futuras desde o primeiro turno. 
  • Dificuldade - Ao contrário de outros jogos, no Space Hulk a dificuldade nota-se cada vez mais com as vezes que se joga, quando ambos os adversários vão aprendendo como usar cada vez melhor as opções que cada um tem.
  • Duração - Para o tempo que demora a montar os jogos podem variar entre serem extremamente rápidos e fica aquele gosto de "mas já acabou?”, e às vezes sai aquela missão que parece teimar em nunca mais acabar, bem para lá do tempo que se tinha em mente.
  • Originalidade - As comparações com os filmes da série Aliens parecem que lhe tiram um pouco da originalidade, fora isso, poucos jogos têm este tipo de conjunto de mecânicas e tema e criaram um conjunto tão completo.
  • Preço - É mesmo muito caro! (por volta de USD 80.00)

0 comentários:

Postar um comentário

RSS FeedRSS

 
by Blogger